Estão abertas, em Itaquera, as inscrições para o projeto São Paulo Costurando o Futuro

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, nota: 3,00)
Loading...

O projeto “São Paulo Costurando o Futuro”, ligado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho (Semdet), pretende transformar a Zona Leste em um Pólo de Confecções. O caminho traçado é a capacitação para o trabalho e o incentivo ao empreendedorismo, microcrédito e inovação tecnológica. A colaboração vem da parceria firmada com o Senai, Sebrae-SP, Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH-USP) e Singer do Brasil e do apoio das secretarias de Coordenação das Subprefeituras e da Educação.

O Senai, ao final do curso gratuito, fornecerá aos participantes um certificado de Capacitação para o Trabalho, nas áreas: Costureiro (a) de Máquina Reta e Overloque; Modelista de Roupas; e Mecânico (a) de Máquina Reta e Overloque. O Sebrae-SP, por sua vez, dará apoio na gestão de pequenos negócios e consultoria técnica e tecnológica, tendo em vista a organização e legalização de empresas constituídas pelas costureiras.

O objetivo é incentivar o desenvolvimento do setor, seguindo os padrões de excelência que atendam as exigências do mercado de confecção. Já a Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH – USP Leste), dará apoio à pesquisa e inovação tecnológica, expandindo sua parceria para o cadastramento das empresas de confecção; classificação das empresas por nível de tecnologia aplicada; e fornecimento de laboratório para pesquisas e certificações de produtos. A EACH-USP deverá classificar as empresas pelo nível tecnológico, propondo melhorias para seu desenvolvimento.

O principal objetivo é formar costureiras, desenvolver o senso de cidadania, o cooperativismo e a formação de grupos profissionais e a criação de micro e pequenas empresas.

Zona Leste: Pólo de Confecções

Focado nas regiões mais carentes, o projeto São Paulo Costurando o Futuro objetiva abrir oportunidades em locais antes desprovidos, além de qualificar pessoas que sonham em montar seu próprio negocio ou simplesmente ter a chance de conseguir um emprego com carteira assinada. O projeto, que teve início em 2011, já formou milhares de pessoas. E em cada edição, tem aproximado o sonho das pessoas à realidade, fornecendo as ferramentas e o conhecimento necessário.

Como participar

Para participar do projeto, que tem duração de aproximadamente dois meses (160 horas), é preciso ter idade mínima de 16 anos, escolaridade mínima: 4ª série, ser pessoa de baixa renda e estar desempregado (a) ou em busca do 1º emprego.





Os documentos necessários para efetuar a inscrição são: cópias do RG, CPF, comprovante de endereço, Carteira Profissional, comprovando a situação de desempregado ou busca do 1º emprego. É necessário copiar a página da foto, dos dados pessoais e do último registro ou da página do 1º registro em branco. Os menores de 18 anos devem apresentar ainda uma cópia do RG e do CPF do pai, mãe ou responsável. As aulas acontecem de segunda a sexta-feira, em dois períodos: manhã, das 8h às 12h e tarde, das 13h às 17h.

Os interessados devem se dirigir à Subprefeitura Itaquera, de segunda à sexta, das 9h às 17h, para efetuar o cadastro na Câmara de Animação Econômica, com Fátima Regina Tomaz. As dúvidas devem ser sanadas pelo telefone: (11) 2074-5003.

Setor têxtil

O setor têxtil é um dos mais importantes da economia da cidade de São Paulo. A capital paulista é o maior distribuidor de produtos têxteis e de vestuário, com expressiva concentração de estabelecimentos comerciais atacadistas em três bairros: Brás, Bom Retiro e Sé (rua 25 de Março). Os produtos comercializados, no entanto, são produzidos em outras localidades, na forma de prestação de serviços por pequenas e microempresas. São Paulo tem registradas cerca de quatro mil indústrias que empregam 80 mil trabalhadores formais, além de milhares de costureiras que trabalham informalmente. Após a qualificação, as agências do São Paulo Confia oferecerão financiamento por microcrédito para a aquisição de equipamentos.

Em suma, o projeto visa atender as necessidades das pequenas confecções, tendo em vista a melhoraria dos produtos e, conseqüentemente, a ampliação da oferta dessa mão-de-obra; qualificação dos adolescentes para ingressar no setor; o aumento da produtividade; auxílio ao aprendizado para manejo das máquinas e o desenvolvimento do senso de cidadania, com o estímulo para a elaboração de projetos autônomos. Outro objetivo é estimular o cooperativismo, a formação de grupos profissionais e a criação de micro e pequenas empresas.

As aulas, ministradas na oficina-escola, implantada no CEU Azul da Cor do Mar, terão início no dia 17 de março, mas as inscrições já estão abertas. Participe!





Deixe seu comentário